As 12 competências relevantes para a Economia 4.0

Estamos passando pela chamada Quarta Revolução Industrial, na qual o cenário do mercado profissional é marcado fortemente pela ascensão da classe média, aumento da demanda por diversidade e inclusão no ambiente corporativo e, principalmente, pela transformação digital. Tais fatores impactam diretamente na forma em que as empresas lidam com a demanda por competências dos profissionais no mercado de trabalho.

O aumento da participação da classe média nos mercados emergentes implica em uma transição para uma economia mais sustentável, assim como a mudança na forma pela qual os consumidores expressam seus valores, obrigam as organizações a mudarem o seu modelo de negócio. As lutas sociais pela inclusão e diversidade estão cada vez mais fortes. Isso requer maior participação e aumento dos direitos das pessoas das diferentes raças, etnias, gêneros e orientações sexuais nos ambientes social e profissional, o que faz com que as empresas sintam a necessidade de se adaptar a esse novo cenário. A transformação digital já é uma realidade mundial: à medida em que surgem novas tecnologias e metodologias de gestão, novas competências profissionais passam a ser demandadas pelas organizações.

Diante do atual cenário, apenas as empresas e indivíduos capazes de acompanhar as mudanças e evoluções conseguirão se desenvolver e se preparar para o novo cenário de demandas e ofertas. Isso porque, com o avanço tecnológico, algumas funções antes exercidas por pessoas, passam a ser automatizadas por dispositivos, máquinas e robôs. Com a automatização, as empresas precisarão se reinventar  com novos cargos e funções com maior diversidade de habilidades dos colaboradores.

Cada vez mais as corporações estão buscando profissionais com perfis híbridos, que compreendam o negócio da organização de maneira holística e que transitem entre os diferentes departamentos da empresa. Isso faz com que o profissional tenha as suas habilidades ampliadas, tornando fácil a sua adaptação em diferentes áreas de atuação. Ainda, características relacionais como criatividade e pensamento ético,  capacidade de interação social, comunicação e empatia passam a ser fundamentais. Isso pode ser explicado pelo fato de que as atuais tomadas de decisão não englobam apenas critérios técnicos, mas também humanitários, considerando conceitos de sustentabilidade, diversidade e inclusão. Esse cenário demanda um intenso e constante trabalho incluindo a liderança dos times, que deve atuar de maneira colaborativa, motivando seus colaboradores a irem além de sua zona de conforto.

A partir desse contexto, a World Economic Forum publicou um sumário executivo relatando algumas tendências das competências no ambiente profissional. Abaixo elencamos as mais relevantes:

1.Flexibilidade cognitiva

Ser capaz de ampliar a capacidade de pensamento está sendo cada vez mais demandado pelas empresas. Os profissionais do futuro precisam ser capazes de pensar e buscar diferentes soluções para um problema, expandir seus os interesses pessoais e profissionais, relacionar-se com pessoas que desafiem suas visões de mundo, sair da sua zona de conforto ser capaz de enxergar novos padrões, tornando-se mais flexível.

2. Capacidade de negociação

Alinhada às habilidades interpessoais, a capacidade de negociar entre diferentes níveis de uma organização é de extrema importância para as empresas que pensam em profissionais modernos.

3. Compreender as necessidades dos clientes

A preocupação com saúde, dados, meio ambiente e outros fatores está sendo cada vez maior pelas pessoas. Por isso, é importante que os profissionais do futuro sejam capazes de, além de orientar de forma correta e coesa os clientes, conheçam detalhadamente o seu público para poder adaptar seus produtos à realidade do consumidor. O lema do futuro deve ser: não busque clientes para os seus produtos, busque produtos para os seus clientes.

4. Inteligência emocional

Reconhecer e avaliar as emoções de outras pessoas e, acima disso, ser capaz de identificar sentimentos próprios, promovem um ambiente com maior empatia e mais colaborativo, em que os colaboradores ajudam uns aos outros e possuem um objetivo em comum: atingir os resultados esperados para o sucesso comum da organização como um todo.

5. Bom relacionamento com os outros

Profissionais capazes de se coordenar com os demais da equipe estão sendo crescentemente demandados pelas organizações.  A boa relação entre líderes e liderados envolve diversas competências como comunicação, trabalho em grupo, respeito às diversidades e diferentes personalidades.

6. Gestão de pessoas

Compreender, entender, valorizar e saber gerir os colaboradores é essencial no mundo atual. A capacidade de gerir pessoas está relacionada à habilidade de motivá-las e no entendimento e compreendimento das necessidades dos profissionais, impactando de forma positiva na produtividade da organização.

7. Criatividade

Apesar do avanço tecnológico que nos cerca, as máquinas ainda não possuem a capacidade criativa do ser humano. Com a velocidade de inovação, desenvolvimento de novos produtos e surgimento de novas tecnologias, é indispensável que os profissionais possuam forte habilidade criativa para que novas ideias estejam sempre surgindo, gerando novos negócios.

8. Pensamento crítico

Considerar os pontos positivos e negativos de determinadas decisões e problemas está em alta. Utilizar a lógica e o raciocínio, principalmente o crítico, faz com que os profissionais pensem em diferentes soluções para os problemas e, também, considerem diferentes fatores nas tomadas de decisão.

9. Capacidade analítica

É necessário que os profissionais do futuro sejam capazes de organizar os problemas e diferentes situações de forma integrada, comparando os diferentes aspectos a fim de determinar prioridades de modo racional. Para isso, é essencial a capacidade de examinar números, buscar insights a partir da análise das informações e utilizar o Big Data nas tomadas de decisão das organizações.

10. Habilidades tecnológicas

O interesse pelo estudo e conhecimento da tecnologia por parte dos profissionais, está sendo progressivamente reconhecido pelas empresas. Diante da atual transformação digital, a capacidade de manusear algumas ferramentas digitais é de extrema relevância.

11. Capacidade de lidar com incertezas

A tendência do mercado atual é de gradual inconstância e volatilidade. Por isso, é essencial saber lidar com caos e mudanças constantes, transformando os desafios do dia a dia em oportunidades de desenvolvimento e crescimento.

12. Empatia multifocal

Colocar-se no lugar do outro, ou seja, ter empatia pelo outro, é essencial. Porém, no mundo VUCA (Volatility, Uncertainty, Complexity e Ambiguity), é preciso ir um pouco além e se colocar no lugar dos outros, uma vez que todas as partes envolvidas são diferentes entre si, com visões, desejos e necessidades distintas. É essencial ser multifocal, para não entender as pessoas de maneira limitada e/ou tendenciosa.

Diante desse cenário de transformações constantes, é possível dizer que o futuro do trabalho já é, na verdade, o seu presente. As corporações enfrentam os desafios de se adaptarem aos profissionais do mundo moderno e suas necessidades, enquanto os profissionais buscam se desenvolver para se tornarem cada vez mais atrativos no mercado de trabalho devido às atuais demandas das empresas. Dessa forma, é preciso que empresas e profissionais mantenham-se atualizados sobre as mudanças que os cercam, buscando maior competitividade e sucesso.